CFM publicará nova resolução sobre telemedicina

2 minutos

Folder

Entre junho e julho, o Conselho Federal de Medicina (CFM) reuniu uma comissão especial para revisar a prática da telemedicina no Brasil, regulamentada pela Resolução CFM nº 1.643/02. A proposta da comissão, a ser discutida pelo plenário da autarquia, é que se tenha uma norma ética, técnica e segura para a prática da telemedicina no Brasil.

Alguns princípios devem nortear a elaboração da nova resolução de telemedicina do CFM, dentre eles:

  • A relevância da relação médico-paciente. “Esse é o principal valor da profissão médica, e é por meio dessa relação que se estabelece a necessária confiança. A telemedicina tem que vir como uma tecnologia, visando facilitar o acesso”, afirma o 1º vice-presidente e coordenador da Comissão Especial, Donizetti Giamberardino Filho
  • O papel central do médico. A norma deverá garantir que a telemedicina ofereça acesso, conhecimento e qualidade no atendimento, mas não substitua a figura presencial do médico.

A ética médica e outros detalhes, como a preservação da privacidade de dados e do prontuário do paciente, também têm sido estudados pela comissão. “A primeira consulta precisa ser presencial para garantir diagnóstico e prescrição mais efetivos após a anamnese e o exame físico”, explicou o coordenador.

Compartilhe