O diferencial que faz o conhecimento de gestão na Medicina

Folder

Os alunos levantaram o rosto ao mesmo tempo e, após segundos de silêncio, seguiram-se gargalhadas com diferentes sonoridades, revelando cumplicidade e homogeneidade do grupo. O cenário era aula de Matemática Financeira do MBA para Executivo em Saúde da Fundação Getulio Vargas (FGV) e eu me encontrava entre os alunos. Minutos antes, o professor havia proposto um problema que, acreditava ele, a turma resolveria em segundos. A gargalhada involuntária foi a constatação daquele grupo, formado por profissionais de Medicina, Enfermagem e áreas afins, de que aquele seria um grande desafio.

Essa alegre lembrança são registros de uma verdade: o profissional da Saúde apenas tardiamente percebe o quanto ferramentas de outras áreas são valiosas para o gerenciamento de sua carreira. Matemática Financeira, Economia em Saúde, Planejamento Estratégico, Gerenciamento de Recursos Humanos, Administração em Saúde, Aspectos Jurídicos da Profissão, Certificação e Acreditação Hospitalar, enfim, esses e muitos outros conhecimentos se apresentam ao profissional que trabalha na área de Saúde em algum momento de sua trajetória profissional.

Outro dia, ouvi uma frase curiosa de um colega que havia sido convidado para ser diretor médico de uma instituição na qual ele já trabalha há alguns anos, mesmo sem possuir muita experiência administrativa: “Não sei porque me convidaram”, sentenciava ele. “Na minha opinião, o hospital perdeu um ótimo médico para ganhar um diretor com muitas limitações”, completou.

Além da familiaridade que essa frase soou aos meus ouvidos por já ter sentido o mesmo em outro momento de minha vida, ela revela o cerne de uma questão relevante na Gestão em Saúde: as instituições cada vez mais precisam de profissionais que possam exercer funções administrativas em seus quadros. Entretanto, esses profissionais não estão disponíveis em quantidade e qualidade suficientes para atender a essa demanda. Na solução dessa equação, se apresentam algumas possibilidades.

A busca pela qualificação

Investir em uma formação, como o MBA e as pós-graduações afins, é um caminho interessante. Muitas vezes, depois de muitos anos à frente de uma instituição com a qual nos identificamos e para a qual nossa vinculação é unicamente assistencial, sentimos a necessidade de pensarmos o todo sob a ótica gerencial. Nesse momento, o investimento em uma nova formação pode abrir muitas outras expectativas. Ou seja, estamos falando de qualificação, de empregabilidade e de realização profissional. No mesmo sentido, não é incomum que, após décadas realizando a mesma função, o profissional se sinta desafiado a buscar novos rumos como prazer profissional.

Mais uma vez fazendo a função de ouvinte privilegiado, ouvi um relato emocionado de outro amigo que me confessava que, se não tivesse buscado outros caminhos para sua profissão, a teria deixado há alguns anos e atualmente acreditaria que estaria decepcionado e insatisfeito. Ao contrário, esse amigo é hoje uma pessoa feliz e motivada com suas escolhas e seu trabalho. O caminho escolhido foi ler sobre temas que envolvem a Gestão em Saúde, capacitar-se e aceitar um convite que ele não teria aceito antes.

Portanto, é sempre tempo para nos reinventarmos e redescobrirmos caminhos que nos mantenham nos trilhos da realização profissional e pessoal. E na área da Saúde, certamente as opções da gestão se apresentam como boas oportunidades. Temos que conhecer nosso negócio, experimentarmos o que se encontra como inovações interessantes e, sempre, buscarmos a qualificação. Somente assim me parece que essa equação matemática apresentará bons resultados!

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download