Como estabelecer a boa relação médico-paciente

Folder

Construir uma boa relação médico-paciente é uma das questões mais importantes para o profissional. Saber conversar, ouvir e usar as palavras corretas são ações essenciais nesse processo. Se o paciente estiver satisfeito com o atendimento, ele será fiel aos seus serviços e poderá indicar seu trabalho para outras pessoas. Por outro lado, se ele se sentir incomodado ou tiver uma percepção ruim do atendimento, pode não voltar mais e, pior, fazer uma propaganda negativa dos seus serviços.

Para gerar um encantamento no paciente, entre tantos fatores, é preciso estar atento a alguns, como:

  • Atendimento de excelência;
  • Consultório sustentável;
  • Habilidades comportamentais;
  • Atualização profissional;
  • Ambiente físico;
  • Empatia e dedicação;
  • Administração do tempo.

Confira as dicas abaixo para construir uma boa relação médico-paciente:

1- Divulgação

Quando o paciente procura um médico, ainda não o conhece e, por isso, baseia seu julgamento nas opiniões positivas ou negativas que recebeu. Não se esqueça que o boca a boca é uma ferramenta importante e fortíssima na divulgação dos seus serviços.

2- Interesse

Esse é o momento em que o paciente atua com outros personagens e situações, menos com o médico. Nesse ponto, a secretária será uma importante aliada. Antes de encontrar com o médico, é com ela que o paciente conversa. Por isso, engana-se quem não percebe a importância desse momento e acha que apenas a competência técnica já basta. Educação e simpatia são os pilares que uma boa secretária deve manter.

3- Espera

Para os médicos que atendem em consultório, o tempo em que o paciente espera e os serviços oferecidos durante esse período podem ser um divisor de águas. Além disso, outro ponto essencial é a organização na hora de marcar a consulta. Portanto, a desorganização da agenda pode fazer você perder pacientes!

4- Atendimento

Esse é o momento em que o médico fica frente a frente com o paciente. Ou seja, aqui a humanização é muito importante. Um dos impactos dessa atitude é que o paciente valoriza mais a prevenção e não busca o médico somente quando apresenta sintomas.

5- Interação

Mostre-se atento ao que o paciente fala. Claro que cada um tem o seu perfil, entretanto o médico, como profissional da Saúde, deve saber se comunicar, conversando, ouvindo e expondo o que o paciente deve fazer.

6- Percepção

Pense no seguinte: você foi até uma loja, entrou, pesquisou e comprou algo de seu interesse. Ao sair da loja (sendo a primeira vez), você avaliará se achou o atendimento bom ou ruim e quais os pontos que mais lhe chamaram a atenção. O mesmo ocorre no atendimento médico. Se houver algum problema ou “ruído” durante o serviço, certamente esse paciente não voltará a procurar o médico.

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download