5 tendências para a área da Saúde em 2021

Com a pandemia, a área da Saúde teve que se reinventar para lidar com os novos desafios e oferecer conforto e segurança a seus pacientes. Mas como será no próximo ano? 2021 manterá a onda de mudanças? Para responder a essas perguntas, listamos algumas possíveis tendências para o próximo ano

Julia Lins 6 minutos

Folder

Dois mil e vinte foi um ano atípico, que trouxe muitas mudanças em diversos setores sociais, especialmente na área da Saúde. A crise possibilitou o surgimento e a implementação de novas tecnologias nesse mercado, como a Telemedicina, que teve seu uso autorizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em março deste ano. Além da Telemedicina, diversos dispositivos e tecnologias despontam como grandes promessas para o próximo ano. Por isso, listamos abaixo algumas das principais tendências para o setor de saúde em 2021. Confira!

1- Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

A LGPD foi sancionada em 14 de agosto de 2018 e, em julho de 2019, foi aprovada a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), entidade responsável por fiscalizar o cumprimento da lei. Porém, foi apenas em setembro de 2020 que a lei entrou em vigor no Brasil. Com isso, começaram a surgir diversas dúvidas acerca de seu funcionamento.

A lei tem o objetivo de rever as estratégias e a política de coleta e armazenamento de dados, e determina que todas as empresas precisam informar em seus sites quem é o encarregado pelos dados – caso não, isso será considerado uma irregularidade.

A LGPD visa evitar os principais acidentes em relação ao tratamento de dados: a utilização inadequada de informações ou o vazamento dos dados.

Portanto, os médicos gestores de consultórios, clínicas e hospitais deverão ficar atentos e pensar em como as informações de pacientes são acessadas para, a partir daí, desenvolver um checklist com as etapas para a adequação da política de armazenamento de dados do consultório.

As punições às empresas que descumprirem o decreto só serão aplicadas a partir de 1° de agosto de 2021 e podem chegar a até 2% do faturamento da sua clínica, tendo um limite de 50 milhões de reais para o valor dessa multa.

A LGPD, portanto, aparece como uma das principais tendências na área de segurança jurídica em 2021, e por isso, o setor da saúde precisa ficar atento, visto que ela é uma forma de conscientização sobre a necessidade e pertinência de solicitar e armazenar dados de pacientes e de colaboradores.

2- Telemedicina

O CFM autorizou o uso da Telemedicina em 20 de março de 2020, em caráter excepcional e temporário, em virtude da pandemia de Covid-19. Todavia, ao que tudo indica, esta é uma modalidade que veio para ficar. Em 2021, a tendência é que a Telemedicina evolua e amplie seu espectro de abrangência, contribuindo para tornar o sistema de saúde mais acessível e eficiente.

Atualmente, a Telemedicina está sendo utilizada com três principais finalidades: teleorientação, teletriagem e teleconsulta. Contudo, uma das grandes promessas para o próximo ano é a implementação de perícias médicas por Telemedicina. Em novembro deste ano, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) iniciou uma experiência piloto de realização de perícias médicas com uso da Telemedicina. A fase de testes vai até o dia 31 de janeiro de 2021.

De acordo com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o protocolo da experiência piloto foi aperfeiçoado para proporcionar segurança ao ato pericial dos peritos médicos federais, que ficam autorizados a realizar perícias médicas por Telemedicina, durante o período de enfrentamento da pandemia de Covid-19. A medida foi tomada em cumprimento à decisão do Tribunal de Contas da União (TCU).

Em 2021, outra modalidade que deve se popularizar é o atendimento híbrido. Ou seja, as primeiras consultas e atendimentos que necessitam de um diagnóstico podem ser feitas por meio do atendimento presencial, como de costume. Já consultas de retorno ou de acompanhamento podem ser feitas por Telemedicina.

3- Armazenamento em nuvem

O chamado cloud computing é uma tecnologia que se popularizou nos últimos anos e está relacionada ao armazenamento de dados na nuvem, garantindo mais segurança, confiança e otimização do tempo do profissional da Saúde.

Além disso, as plataformas em nuvem aumentam a colaboração entre médicos e pacientes e tornam o processo de consulta mais eficiente. Essa característica por si só já demonstra o motivo pelo qual o uso de dados na nuvem é considerado uma das principais tendências da saúde.

Há uma série de benefícios em implementar o sistema de armazenamento em nuvem em seu consultório, entre elas:

  • Auxílio do diagnóstico
  • Gestão dinâmica das informações
  • Maior segurança no processo de armazenamento de dados
  • Redução dos custos com infraestrutura
  • Flexibilidade de acordo com a demanda

4- Agendamento online

Transformar a clínica em um ambiente mais digital tornou-se uma necessidade em 2020. Portanto, a partir desse movimento de transformação, outros mecanismos também se popularizaram neste ano, como a agenda personalizada, a prescrição digital, o prontuário eletrônico, a assinatura digital e tantos outros.

Essa automação de processos teve um papel fundamental durante a pandemia, proporcionando uma experiência mais eficaz para o paciente. Entre essas ferramentas está o agendamento de consultas e exames on-line, caracterizando-se como uma forma de oferecer mais comodidade aos pacientes.

O agendamento on-line reduziu a fila de espera e ainda facilitou a marcação de consultas, visto que o paciente pode realizar a marcação da consulta durante os sete dias da semana, 24 horas por dia. A tendência é que em 2021 esse sistema seja aperfeiçoado e, cada vez mais, gestores de clínicas e consultórios optem por aderir a este sistema.

5- Marketing médico

Embora não seja bem uma novidade, poucos médicos utilizam-se da estratégia do marketing médico. Entretanto, com a pandemia, esse cenário parece estar mudando. Muitos médicos começaram a perceber que o ambiente digital é um ótimo espaço para educar e fidelizar seus pacientes.

Mais pessoas estão acessando a internet para encontrar informações sobre saúde e é fundamental contar com um posicionamento digital qualificado. Uma pesquisa realizada pelo Google revelou que 26% dos brasileiros recorrem primeiramente a ele ao deparar-se com um problema de saúde.

Isso mostra que os médicos têm um amplo mercado a ser explorado. Ao criar uma página nas redes sociais, por exemplo, o médico tem a oportunidade de publicar conteúdos relevantes e confiáveis a fim de educar seus pacientes e combater as fake news, que se tornaram um dos maiores desafios do setor neste ano.

E você, quais são as suas apostas de tendências para o setor de saúde em 2021?

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download