6 dicas para eliminar maus hábitos da pandemia

Folder

A pandemia de Covid-19 trouxe diversos novos hábitos para a rotina de muitos médicos. Uma agenda de trabalho mais corrida e desregulada, a falta de rotina em muitos casos e até novas realidades incorporadas ao seu dia a dia – como a Telemedicina – têm afetado de forma considerável a alimentação e a qualidade de vida dos profissionais, que se revezam entre plantões, atendimentos em clínicas ou consultórios e consultas a distância.

Entregas de fast-food, alimentos ultraprocessados e as “roubadas” na geladeira tornaram-se opções indigestas na vida de muitos médicos. Outro fator que contribui para o aumento dos maus hábitos, além da falta de uma alimentação regrada, é o sedentarismo por conta do pouco tempo e do cansaço habitual.

A proibição ou o risco de fazer atividades ao ar livre tem feito com que muitos profissionais fiquem presos tanto em casa quanto no consultório ou hospital. Além das horas em frente ao computador fazendo teleatendimento, prescrevendo medicamentos e, geralmente, com uma postura ruim na cadeira, o único exercício físico de quem está com a rotina ainda mais atribulada ficou restrito às caminhadas entre os locais de trabalho ou dentro da própria instituição.

Reveja seus hábitos com 6 dicas

1. Importância da alimentação

Seja trabalhando em hospital ou em casa, a hora da refeição é uma hora sagrada. Pare para comer, concentre-se apenas na comida. Estabeleça uma rotina de alimentação. Pode parecer impossível para quem trabalha, principalmente com emergências. Evite comer salgadinhos, frituras e aquela pizza no final do plantão.

2. Alimentação regrada

Para quem está trabalhando de casa, é difícil fugir da tentação de abrir a geladeira de 15 em 15 minutos, mas tente resistir. A falta de rotina afeta não somente o seu trabalho: a sua qualidade de vida sofre bastante. Em vez de comer algo por impulso, beba um copo de água. Vai matar a sede e a ansiedade de uma só vez.

3. Lute contra a preguiça

Leve frutas e oleaginosas, descascadas e prontas, para comer no intervalo de trabalho. Higienize as verduras e deixe-as armazenadas – isso facilita a montagem de um prato saudável quando chegar em casa após um plantão cheio. Muitas vezes a preguiça e a falta de tempo são as maiores inimigas da boa alimentação.

4. Faça exercícios

Trabalhar é necessário, mas fazer exercícios é primordial para uma boa saúde. A desmotivação, o cansaço da rotina e a falta de espaço para quem trabalha em casa podem atrapalhar um pouco. Muitos professores de educação física estão conseguindo encontrar soluções criativas para manter quem está em casa o mais ativo possível. Já para o médico que tem uma rotina casa-plantão-casa, a realidade é a luta contra o sono e o cansaço. O primeiro passo é sempre o mais difícil: manter uma rotina de exercícios, mesmo com pouco tempo.

5. Não se deixe afetar pelo home-office:

Essa dica é para quem trocou o atendimento presencial pela Telemedicina. Em casa não tem estresse com trânsito, atraso e barulho (nem sempre); por outro lado, a cobrança tem sido cada vez maior. Muitos que estão em regime de teletrabalho têm uma carga de trabalho mais intensa do que se estivessem presencialmente, e acabam misturando trabalho com descanso. A sua casa não pode se tornar um ambiente estressante. Para os médicos que continuam atendendo em consultório ou hospital, em muitos casos, a rotina se tornou ainda mais apertada. Descanse quando puder e cuide da sua saúde mental e física.

6. Ócio criativo

Pratique atividades que lhe faça bem antes, durante e depois do trabalho, seja ele em casa, consultório ou hospital. Uma mente descansada produz muito mais e melhor.

Com essas pequenas dicas, a rotina será mais prazerosa – afinal, a pandemia ainda não acabou. A realidade pode não ser tão boa quanto antes de março de 2020, porém cabe a cada um não se deixar afetar pela falta de tempo. Os hábitos que foram adquiridos na pandemia podem ter sido ruins em curto prazo, contudo, o problema está no resultado em longo prazo. Comorbidades, fora a Covid-19, podem surgir por conta de um ano de hábitos ruins.

A manutenção da saúde em quem não foi diagnosticado com a Covid-19 continua sendo uma prioridade. As dicas acima mostram como aliviar o impacto causado indiretamente pelo novo coronavírus e podem ser seguidas mantendo o distanciamento social. Ainda é possível reverter ou, pelo menos, diminuir os efeitos dos hábitos adquiridos nessa pandemia. Como? Adquirindo novos hábitos.

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download